26 outubro, 2006

Reencontro

Ela esperou por dois anos para encontra-lo novamente. Imaginou diversas situacoes: ele daria um abraco forte, diria que sentiu saudade, que a amava. Ou diria que ela era uma boa amiga e que sentiu saudade. Ou pediria o que andou fazendo nos ultimos anos. Falaria sobre o tempo em que estiveram separados.
Pensava que no dia em que ele voltasse ela sentiria e saberia como ir ao lugar certo para ve-lo. Na verdade ela sentiu (mesmo sem saber). Estava mais alegre nos ultimos dias, mais leve...
Numa semana corrida deu uma volta com as amigas para relaxar. Sabia que era um lugar que ele frequentava, mas nao havia risco de estar la, ainda nao era hora da volta, nao era o dia da chegada. Quando estava indo embora ouviu uma risada doce e macia, olhou para o lado e ele estava la.
O coracao bateu mais forte, ela tremia dos pes a cabeca, mas nao queria demonstrar. Olhou para ele diversar vezes, sabia que ele tambem a viu. Nao queria mais sair, mas tambem nao queria contar para as amigas que estava esperando por aquele momento por dois anos.
Ele nao olhou de volta, nao deu oi, nao acenou, sequer mostrou um resquicio de sorriso. Ela nao entendeu o motivo. Simplesmente saiu, mais uma vez nao teve coragem de dizer o que sentia. Perdeu a nocao do tempo, das horas, dos anos. Lembrou da ultima vez em que se encontraram, o que nao disseram.
Mas o pior era saber que novamente ele estava por perto, que poderia encontra-lo em qualquer esquina, a qualquer momento. Sabia que nao estava preparada, que nao tinha cura para aquele mal.
Nao podia enfrentar mais aquilo, a dor era muito grande. E preferiu nao sentir mais nada.

4 comentários:

משֶׁה disse...

Simplismente uma forma de viver... ver no mundo. Encontro e desencontros! Valeu!

Paulo disse...

E é justamente quando eu decido não sentir mais nada, é que eu tomo meus maiores tombos...

Ótimo esse texto!

Adele disse...

Úia... Quem? O q? Hein??

Rochele disse...

Não é nada Adele, só mais um texto tirado de uma mente perturbada.
Bjos