13 maio, 2008

Era mais fácil viver de amor...


Uma casinha de sapê, uma rede na varanda, o mar logo ali na porta. Viver de pesca e caça. Deixar carros, computadores e celulares de lado. Não ouvir cobranças, não ter gastrite nem dor nas costas, não precisar acordar cedo em dia frio. Claro que também não teria dinheiro para tv, rádio, aquecimento, mas a praia em que eu iria morar era bem quente e teria atrativos naturais muito melhores que qualquer programa de tv. Banho na cachoeira que teria pertinho de casa ou um cano com água gelada mesmo (para acabar com o calor). Antes de me mudar para esta casinha linda e bem aconchegante venderia tudo que tenho na cidade, com o dinheiro comprava o terreno, fazia a casa e comprava os móveis básicos. Minhas roupas também trocaria: os casacos, mantas, meias, calças, por bermudas, biquínis, regatas, saias. Também aprenderia a costurar e faria minhas próprias roupas para ocasiões mais especiais.
Todos meus livros iriam junto, folhas em branco também, não teria mais o blog para desabafar, mas escreveria sempre, todos os dias. Meus cachorros poderiam ir junto e correr soltos na praia. Claro que com o tempo só o peixe e o amor não bastariam. Mas a esta altura eu já teria aprendido a costurar e podia fazer algumas coisinhas para vender, mas poucas encomendas e muito prazo. Se não voltaria ao que era.
No começo iríamos estranhar, fazer o que em tanto tempo de “ócio”?, não ter que matar um leão por dia e nem brigar com ninguém, não ouvir cliente e chefe mala reclamando, não chegar em casa cansado e estressado, ligar a tv e se atirar no sofá. Mas com o passar dos dias o passado seria esquecido e viveríamos em um mundinho perfeito, com qualidade de vida. Talvez algum amigo que fosse nos visitar sairia de lá dizendo “coitados, são tão pobres que não tem nem televisão.”, e nós ao ver este amigo sair pensaríamos “coitado, está com uma cara tão abatida. Só falou sobre problemas e complicações. Não sabe o que é ser feliz e aproveitar a vida de verdade.”

3 comentários:

Paulo disse...

Com toda a sinceridade, depois desse post, vou tirar meu horário de almoço. Preciso pensar nisso tudo que li. E não decidi ainda se volto ao escritório depois do almoço ou se vou olhar o mar. Que post!

Beijos!

Adele Corners disse...

...nem me fala...

q vontade de me esconder de tudo e morar na praia

Suani disse...

é... um dia ainda hei de fugir daqui...