18 junho, 2009

Chefes de cozinha

Sabiam que agora jornalistas não precisam mais de diploma para exercer a profissão? Pois é, agora qualquer um que saiba escrever pode se dizer jornalista, fazer jornalzinho, programas de tv e etc. Claro que isso já acontecia antes, mas a exigência do diploma dava uma selecionada. Ao menos a pessoa que revisava, editava e assinava alguma publicação era formado.
O relator e presidente da Corte do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, comparou a nossa profissão com a de chefe de cozinha. Sim, é igualzinho. Inclusive colocar uma notícia no ar falando sobre a vida de uma pessoa sem investigar nem pesquisar é a mesma coisa que fazer um prato novo no restaurante.
Nada contra os chefes de cozinha, aliás aprecio muito a profissão e acredito que tem que ter um dom para se trabalhar na área. Mas não é a mesma coisa. O jornalista pode destruir a vida de alguém ou colocar no auge uma pessoa que não merece. Não à toa é chamado de o Quarto Poder.
Não vou dizer que na faculdade se aprende tudo para ser o jornalista mais ético e profissional do mundo (digo isso lembrando especificamente de alguns colegas, que não eram éticos nem na vida pessoal).
Mas ao menos na universidade se aprende um mínimo de ética, psicologia, cultura. Se tem contato com outros profissionais que já tem uma certa experiência e nos passam (ou deveriam) o que é correto e o que não é. Se aprende o global do jornalismo: televisão, rádio, jornal, revista, diagramação, fotografia, filmagem, edição.
Eu não trabalho diretamente na área faz tempo, mas faço alguns trabalhos de free. Ai me pergunto: estes trabalhos chegaram a mim porque as pessoas precisavam de um jornalista corrigindo, editando e assinando. E agora? Qualquer RH ou RP pode assinar. Eu posso perder os trabalhos que tenho por uma questão de economia nas empresas (sabe como é, tempo de crise, os negócios andam fracos).
E quem ainda está cursando jornalismo (começo, metade, ou pior, no final)? Deve estar pensando que é um dinheiro jogado fora. Pois podem comprar o jornal e aprender estilo de redação lendo jornal, revista, escutando rádio e vendo muita tv. Não precisam de um diploma mais. Afinal, somos como chefes de cozinha.
Dito isso, lembro de algumas entrevistas de emprego que fui quando estava desempregada. Lembro que a preferência era por estagiários (pessoas com pouca experiência, que recebem pouco e podem ser mandados embora a qualquer hora). Imagino agora: serão estagiários que nem cursam faculdade alguma, alunos de ensino médio que mal sabem escrever podem fazer trabalho de jornalista, qualquer sobrinho, filho e irmão pode ocupar a vaga de jornalista. Aliás, o QI (quem indica) é uma coisa muito forte na região. Para conseguir boas vagas é só conhecer alguém, que conhece alguém, que conhece alguém...
Lembro que uma das vagas que fiz entrevista foi preenchida por um estagiário que cursava administração (alguém me explica???). Isto antes do diploma não ser exigido. Imagina agora.
Enfim, caso eu não fosse formada, estivesse terminando o segundo grau e resolvesse fazer um revista de fofoca da society de Caxias seria considerada jornalista. Mesmo que inventasse as mais terríveis histórias e ferrasse com a vida de muita gente, causando separações, fim de sociedades, investigações policias continuaria sendo jornalista, pois ninguém iria tirar meu registro de jornalista, pois nem existirá mais. Até poderia ser processada, apanhar, até ser morta. Mas o estrago já teria sido feito e eu continuaria sendo jornalista.
Afinal, somos como chefes de cozinha e podemos expressar nossa liberdade de expressão.
Parabéns ao ministro Marco Aurélio que foi o único a votar a favor da exigência de diploma. E obrigada aos outros, por deixarem a nossa profissão nas mãos de qualquer um.

4 comentários:

Preta disse...

Vamos nos encontrar para assar um bolo, então?!

Adele Corners disse...

SUPER APOIADA.

vou fazer algo do gênero no blógue tb.

Uma vergonha, isso. Uma falta de responsabilidade INSANA.

Juliano Matos disse...

Muito bem...

Apenas de passagem....eu já fiz um manifesto no meu blog e acompanhei a manifestação da galera lá do jornalismo hj de manhã....

mas infelizmente o nosso povo reuniu pouco mais de dez pessoas...

NÃO CALEMOS!
abraços!

Caco disse...

Você abordou uns pontos sobre os quais eu não tinha pensado, como o mercado de trabalho no interior e a sindicalização.
Ai, voltei a ficar confuso. rs
bjs