22 agosto, 2006

The L World
Assisti o seriado pela primeira vez por pura curiosidade. A propaganda ja anunciava que era um retrato fiel das “meninas que gostam de meninas”. No comeco achei que seria uma visao machista sobre o tema, mas nao eh. O seriado eh delicado, feminino, audaz, intrigante.
Mostra todos os conflitos delas, nao soh o preconceito, mas os problemas de relacionamento, o medo em assumir esta opcao, as incertezas.
O mais legal eh que mostra uma visao diferente da mulher. Nao eh aquele tipo de seriado bobinho (que eh soh engracado), nem do tipo em que as mulheres sao futeis e lindas. Nao se fixa apenas no tema “lesbianismo”. Mostra a vida da mulher moderna (algumas bem-sucedidas outras nem tanto), a procura por um espaco no mercado de trabalho, os estresses, as magoas, as superacoes.
Seria interessante se fizessem o mesmo estilo de seriado para mostrar a vida dos homens homossexuais. Afinal, eles sao em sua maioria muito diferentes dos heteros. Compreensivos, amigos, fieis, parceiros, do tipo que se pode contar qualquer segredo sem medo de ser espalhado para todo mundo depois do terceiro copo de cerveja.The L Word eh um bom comeco, mas ainda temos a hipocrisia de novelas e outros seriados que assassinam seus personagens gays por medo da reacao contraria do publico e da pouca aceitacao que podem ter. O erro esta em mostrar isso como algo “diferente”, quando as vezes uma apresentacao mais sutil consegue atingir (e conquistar) ate os mais preconceituosos.

2 comentários:

Mikage Aya disse...

Achei a iniciativa de fazer um seriado desses louvável.
Mas tenho que discordar de ti em um ponto, o seriado é MUITO chato.
Feito pra mulheres mesmo.

Rochele disse...

Eu não acho chato.
Gosto de seriados que mostram relacionamentos. Talvez não seja o tipo de seriado que eu assistiria todos os dias, mas ele tem seus pontos positivos.